terça-feira, setembro 11, 2007

A SOLUÇÃO DE RECURSO

Confesso que sempre fui muito crítico, interiormente, da actuação da PJ no caso “Maddie”. Acho que não recolheram as provas suficientes em tempo útil, penso que enrolaram toda a investigação, seguiram pistas que não levaram a lado nenhum. Quatro meses depois, estavam como de inicioi, ou seja, “em branco”. Resolvem então analisar o carro alugado pelo casal McCann, vinte e cinco dias depois do desaparecimento da pequena “maddie”, e descobrem finalmente as evidências que faltavam!

Concluem portanto que a criança não está desaparecida, está morta e que não foi raptada mas sim vítima de homicídio. Não há motivo, não há corpo, mas os culpados são, aqueles que nunca deixaram a pequena “Maddie” cair no esquecimento, os pais!

E pensava eu que a teoria que George Bush estava por detrás dos atentados de 11 de Setembro era maquiavélica!

E eu pergunto, se foram os pais, como conseguiram eles ocultar o cadáver da criança, durante 25 dias, até conseguir leva-lo no carro alugado para sitio desconhecido, quando nestes últimos meses sempre foram vigiados e seguidos 24 horas por dia por uma comunicação social ávida de sangue?

3 comentários:

Velasquez disse...

hey:)

posso pedir te um favorzinho? :P

seria pedir mt se me colocasses um post sobre o lançamento do meu livro?
se n se importasses colocarias um igual a este, com os links e a imagem tb (para facilitar):

http://blogdapontamentos.blogsome.com/2007/09/11/

Estou te desde já mt grato. E claro, espero que apareças. Se nao for em Lisboa, depois no algarve:)

PS: com o meu nome mesmo, sem referencias ao albertovelasquez.

abraço
cumps
Tiago

L Parreira disse...

Finalmente um post novo no blog que eu mais gosto de comentar:-)

Quatro meses depois voltas a escrever sobre o caso "Maddie" e para além de repetires as críticas à Polícia Judiciária, achas que pensar que os pais podem estar por detrás do assassinato é "maquiavélico".

Ainda é cedo para os considerar culpados, mas eles são sem dúvida os maiores suspeitos e não se pode considerar maquiavélico considerar a hipótese de serem culpados. Desde o início que esta história teve muitos pontos que não batiam certo, e o facto de eles não a deixarem caír no esquecimento não me faz parecer que seja um indício de que nõ podem estar envolvidos, da mesma forma que a mãe da pequena Joana também foi à televisão para apelar a que devolvessem a sua pequena filha. Aliás, o facto de eles nunca terem abandonado o local do "desaparecimento" sempre me pareceu muito estranho.

E uma última questão que me intrigou no início desta história, se eles acreditavam mesmo que ela tinha sido raptada, ao divulgarem tão intensamente as fotos de Maddie com o seu olho tão característico, não estariam a obrigar a que alguém que a tivesse raptado a ter de se ver livre dela, dado que ela poderia ser sempre reconhecida? Não estariam eles a assinar uma declaração de morte à sua própria filha?

Quanto à ocultação do cadáver, julgo que seria lógico pensar que ela teria sido feita numa primeira fase antes de avisar a polícia e os meios de comunicação. Só mais tarde, que não tem de ser 25 dias depois, até pode ter sido dois meses, é que teriam transportado o corpo para um outro local.

Resumindo, não sei se eles são culpados (embora esteja convencido que são), mas acho que a sua forma de actuar seria lógica para quem cometesse um crime: tentar chamar a atenção para parecer ilógico que fossem eles os culpados, ficar próximo do local do crime (se não é verdade que o criminoso volta sempre ao local do crime, é verdade que muitas vezes fica mesmo por lá) para tentar desviar as buscas do local onde efectivamente o corpo estivesse e esperar pelo momento idela para se livrarem das provas incriminatórias.

Espero que daqui a algum tempo este caso seja finalmente desvendado e talvez este meu comentário não faça sentido, ou talvez seja o teu post...

verbal disse...

Caro Parreira

A história repete-se! No caso “Maddie” repetiram-se os mesmos erros nas diligências e recolha de provas, e só ficou mesmo por atingir o último patamar da nossa investigação policial, ou seja, arrancar “à bofetada” a confissão aos pais! Penso que talvez tenha aqui tido peso a nacionalidade e o grau de instrução e cultura do casal McCann.

Infelizmente sabemos bem como funcionou a PJ no caso "Joana" pelo que acredito que este caso tenha agora chegada ao patamar da frustração, porque só assim se explica as recentes cambalhotas na investigação! Se a criança foi morta dias antes de avisarem a policia, será que ninguém no aldeamento reparava na falta da criança? E os casais que faziam férias com os McCann não reparavam ou também estão todos envolvidos nesta conspiração? E como seria possível aos McCann transportar o cadáver da criança numa viatura alugada 25 dias depois, quando todo o aldeamento encontrava-se cercado pela comunicação social e o casal não podia dar um passo sem que fosse filmado?

Compreendo bem a frustração da nossa policia, afinal não era nada que umas “bofetadas” não resolvessem. Azar serem ingleses!