quinta-feira, outubro 07, 2004

CRITICA AO CRITICO

Há muito que já tinha desistido de ouvir aquele monólogo aos Domingos no Jornal da Noite da TVI, porque achava que faltava ali alguém que dissesse ao Professor que quando teve a oportunidade de pôr em prática o que defende na teoria, ele tinha falhado. Liberdade de expressão, falta de? Não acho! Afinal a TVI (ainda) é uma empresa privada e Portugal é (ainda) uma democracia. O problema é: quem critica não gosta de ser criticado! Em tempos de renovação, o Martelo foi-se!

3 comentários:

stillforty disse...

Tudo farinha do mesmo saco, refiro-me à TVI e ao governo.
Para mim o Marcelo era nota 2. Foi-se, olha que chatice!

Anónimo disse...

Também eu já não costumava ver os comentários do Marcelo Rebelo de Sousa, principalmente porque sentia que lhe faltava o brilhantismo a que me tinha habituado nas análises que ele fazia na TSF (essas sim, ouvia religiosamente ao Domingo de manhã).
Apesar de não ser espectador assíduo, reconhecia-lhe o mérito de marcar a agenda política, na segunda-feira as análises políticas passavam pelo que o "professor" tinha dito.
Nestes anos em que ele fez as suas análises, foi alvo de muitas críticas, de diferentes sectores, e não me parece que ele não reagisse bem às críticas.
É verdade que a TVI é uma empresa privada, por isso é mais condenável esta espécie de censura, esta tentativa do Estado se imiscuir no que não lhe compete.

Anónimo disse...

O busílis são os "AINDA". Fomos, somos e seremos sempre o país dos AINDA... mais AINDA havemos de lá chegar.
PF
YGM